quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Resenha: Queria ver você feliz


Oi, tudo bem? A resenha de hoje é do livro: Queria ver você feliz da Adriana Falcão. Li algumas resenhas e o legal dessa história que cada um tem uma perspectiva diferente, mas o amor faz isso. 
Essa é uma história real dos pais de Adriana que começa depois da Segunda Guerra Mundial onde não havia esperança. Maria Augusta com seu jeito inquieto chamou a atenção do amor e Caio com seu jeito despreocupado foi logo escolhido para essa missão. 

"A esta altura, você já deve estar adivinhando quem é este que vos fala, sou eu, sim. Há quem me chame de Eros, Kama, Philea, Ahava, há quem me chame de Amor, há quem me chame de Love.Como ter certeza que sou de verdade? Dou minha palavra."
Primeiro ponto que achei mágico foi Adriana ter dado forma ao amor. Quando contamos histórias de amor para alguém falamos através do nosso ponto de vista e sempre afirmando ser o destino ou coisa do tipo, mas e se amor escolhesse quem ele quer que fique junto? 

Na época a comunicação era por carta ainda mais quando a mãe de Maria Augusta não aceitava esse namoro. Tudo que aconteceu para ‘’atrapalhar’’ só fazia pretextos para o amor ficar mais forte. 

Esse livro entrou para a lista dos meus preferidos, sério! A gente vai amadurecendo com os personagens e claro dando muita risada com as cartas de Maria Augusta. Queria ver você feliz nós mostra que é possível amar e respeitar a personalidade do outro. 

Maria Augusta com seus problemas psiquiátricos e Caio com sua melancolia só pensava no suicídio, mas eles iam se ajudando, sabe? Até nisso o amor acertou. O fim por ser dramático está me fazendo refletir desde quando terminei essa leitura, recomento muito, muito, muito (5x muito) esse livro.
Páginas: 157 | Autora: Adriana Falcão | Editora: Intrínseca







                                    E ai, você já leu esse livro? Conte-me o que achou.
Continue sendo essa pessoa iluminada e tchau
Vamos ser amigos? Fan Page | Instagram

2 comentários:


Abra seu coração aqui!

A rosa que não lhe dei

Não sei exatamente onde tudo se perdeu. Se foi na brincadeira ou na própria desculpa que era outra brincadeira, segundo você mesmo. Acr...