sábado, 2 de setembro de 2017

Último Mês

Entra. Senta. Fica a vontade. Quer um café? Bom... Vamos lá, vou te contar o que aconteceu no último mês. Não vou prometer nenhuma emoção ou fazer parecer pejorativo. Não foi. 

Primeiro, junto com o início de agosto voltou minhas aulas e olha, já é um baque ter que se reorganizar, não ter mais aquelas horinhas de sono a mais e as conversas matinais infinitas com a minha mãe. Esses diálogos prazerosos foram trocados por aulas que não posso ser hipócrita agora, me deixam cada vez mais apaixonada pela psicologia. Entenda-me, eu demoro a me adaptar com mudanças. Mesmo que sejam boas.

Com tudo isso acontecendo eu ainda faço parte da classe operária e saudando Marx o capitalismo gera uma disputa horrível entre os colaboradores. A saída de uns deles me deixou com mais responsabilidades. Nos primeiros dias achei que iria pirar, porém meu lado responsável e desafiador me fez pegar gosto pela coisa.

Houve outro paralelo, conheci um cara. Ah, eles sempre aparecem com intuito de me desestabilizar. Dessa vez quase deu certo. Quase. Sempre um quase. Com o tempo percebi que foi melhor assim. Elaborar o luto é sempre um processo doloroso e intenso.

Não vou entrar nas questões familiares, você sabe, são sempre tão complexas e com uma carga emocional gigantesca então só posso lhe tranquilizar e dizer que estão todos bem e seguindo com os seus porquês.

Moço, o que me anima é o inicio de setembro. Além de me trazer mais um ano de vida e um montante de surpresas boas ele sempre me lembra de que existem mais situações para descobrir, pessoas para conhecer e caminhos para continuar.


Agora moço paciente que teve a destreza de me ouvir e me acolher com o olhar... Me fale sobre você. Antes de começar quer mais café? 


Nenhum comentário:

Postar um comentário


Abra seu coração aqui!

A rosa que não lhe dei

Não sei exatamente onde tudo se perdeu. Se foi na brincadeira ou na própria desculpa que era outra brincadeira, segundo você mesmo. Acr...